Como Aplicativos para Eventos Mobile, Melhoram o Engajamento dos Participantes

Entenda:

Entenda:
Postado em 13/10/2015
    Compartilhe:

Faz menos de três anos que planejadores de eventos começaram a substituir os guias de programação em papel por dispositivos mobile. A rápida inovação e adoção de tecnologia de smartphone sofisticada teve, sem dúvida, um papel importante nessa transição. Porém, apesar do aparecimento da tecnologia mobile, a maioria dos eventos continua utilizando guias e programas de eventos em papel tudo isso vai mudar.

Este White Paper discutirá a evolução do aplicativo mobile de evento de soluções 1.0, que iniciaram o movimento da indústria, para o Mobile Event 2.0, que engloba todas as capacidades mobile para criar experiências criativas e atraentes e que mudam a participação nos eventos. Este documento discutirá os desafios do 1.0, assim como o aparecimento do Mobile Event 2.0 e como os planejadores e organizadores de eventos podem explorar toda a tecnologia mobile, expandindo suas marcas de eventos e impactando de forma positiva no envolvimento dos participantes.

 

INTRODUÇÃO

Todos nós testemunhamos o progresso rápido da Web. Na primeira fase da Web, milhões de pessoas curiosas procuraram a internet para informação, utilizando essencialmente notícias e e-mail, pois ainda estávamos inseguros sobre o futuro deste meio novo e emergente. Durante os primeiros dias da Web 1.0, os usuários estavam mais limitados à visualização passiva do conteúdo que era criado para eles. O avanço para o que seria a Web 2.0 foi rápido, ofereceu experiências suportadas por velocidades de banda larga cada vez mais rápidas, o aparecimento do design focado no usuário, comércio eletrônico e a entrada no domínio das mídias sociais. Pode se dizer que a internet finalmente chegou e se tornou naquilo que já estava destinada a ser: um canal de comunicação inovador para um intercâmbio transparente de bens e informação entre pessoas e negócios, em qualquer lugar e a qualquer hora.

Não significa que a evolução esteja concluída. Porém, com o estado atual da Web 2.0, da partilha de informação, o conteúdo gerado, vídeo e multimídia, da simplicidade e usabilidade melhorada e da convergência de outras mídias, como televisão, filmes, música, etc., é justo dizer que a web agora importa para mais gente que qualquer outro meio de comunicação.

A METÁFORA DA WEB VS. A METÁFORA MOBILE

A World Wide Web consiste em uma esmagadora quantidade de informação prontamente diponível à ponta dos dedos dos usuários. A maioria da informação é acessada através de um navegador web e um motor de busca. Até há pouco tempo, usufruir da Web e do seu volume e diversidade de conteúdo era melhor no desktop ou no laptop. Até hoje, computadores potentes com monitores maiores de alta resolução, browsers sofisticados e conexão de banda larga tornam a navegação na internet uma experiência de multimídia sem precedentes.

Em oposição, a maioria dos dispositivos mobile, embora potentes, têm, para maior utilidade prática, telas bem mais pequenas e micro-browsers com poucos plugins e funcionalidades avançadas. Também, a vida limitada da bateria de um dispositivo mobile requer que as sessões de utilização sejam mais curtas, com menos navegação e procura e focada mais em sessões destinadas a tarefas.

Um dispositivo mobile tem sido usado principalmente como um dispositivo de comunicação pessoal e privado. Os usuários mobile guardam mensagens privadas, voicemail, fotos, música e muito mais em seus dispositivos. Isto é bem diferente da experiência na internet, pois a maioria dos dispositivos não foi inicialmente desenvolvida para navegar na Web, e mesmo se eles permitiam acesso, eles não eram desenhados para criar uma experiência envolvente como um dispositivo mobile multimídia potente de hoje em dia.

Porém, o que realmente diferencia uma experiência mobile do PC, é o fato de o dispositivo mobile estar sempre ligado, à distância de um gesto, 24 horas por dia e 7 dias por semana – propriedades fundamentais que definem o relacionamento das pessoas com seus dispositivos mobile. Estas diferenças têm implicações profundas na oferta de experiências mobile satisfatórias e requerem uma abordagem nova e distinta no design de aplicativos mobile.

CORRELAÇÃO ENTRE A WEB E APPS MOBILE DE EVENTOS

Como a Web, a indústria de aplicativos mobile de eventos também passou por uma mudança, embora o processo tenha sido abrandado pelos desenvolvedores de modelos de apps tradicionais que, como muitos da época do Web 1.0, ainda pensam que o status quo é “suficientemente bom”. Aplicativos mobile desenvolvidos atualmente para reuniões e eventos num contexto 1.0, são inovações sufocantes para uma indústria que está pronta para abraçar todas as possibilidades da tecnologia mobile.

Comente com o facebook